(Foto: Reprodução da Internet)

Mano Menezes não é unanimidade e Palmeiras teria alvo de R$ 1 milhão definido para 2020

​Com oito vitórias em 12 partidas à frente do ​Palmeiras, Mano Menezes vem tendo um aproveitamento excelente com o time nessa reta final. Mas os 75% do comandante não são o suficiente para mantê-lo no cargo em 2020, já que o diretor de futebol Alexandre Mattos, que bancou a contratação do treinador, corre sérios riscos de ser demitido em dezembro. Caso isso aconteça, a tendência é que o respaldo da alta cúpula em Mano acabe de vez.

Já segue o Palmeiras no Instagram? Clique aqui e faça parte da nossa torcida!

Nesta segunda-feira (04), o ​jornalista Bruno Guedes, do portal Goal, traz a informação de que o Palmeiras está acompanha de perto o "casamento" entre Santos e Jorge Sampaoli. O argentino vem batendo de frente com a direção do Peixe sobre investimento em reforços para 2020 e, caso decida pela saída do clube, o Verdão irá atrás do técnico, conhecido por seu estilo super ofensivo.

Muitos especialistas da imprensa esportiva indicam o trabalho de Sampaoli muito à frente do de Mano. Obviamente o treinador do Peixe está há mais tempo no cargo - desde janeiro -, porém impressiona por um melhor repertório do que o do treinador alviverde, que tem um elenco muito mais farto de opções de jogadores. O argentino ganha hoje cerca de R$ 600 mil mensais, mas, com sua comissão técnica, despesas, entre outros gastos, o Palmeiras teria que desembolsar próximo a R$ 1 milhão em vencimentos.



Há setores de dentro da diretoria do Palmeiras que não estão satisfeitos com o atual estágio da equipe sob o comando de Mano. No último sábado (02), por exemplo, a equipe só ganhou do Ceará graças à atuação de gala de Weverton. Ele tem contrato na Academia de Futebol até dezembro de 2021, mesmo período em que Mattos deveria permanecer à frente do departamento de futebol. Nossa reportagem apurou que, nos últimos dias, o técnico do Palmeiras foi sondado para retornar ao Corinthians antes mesmo da demissão de Fábio Carille. O comandante recusou as investidas e se diz focado no planejamento para 2020, o que inclui saídas e reforços no mercado.



90min