(Foto: Reprodução da Internet)

Mancha Verde ataca Galiotte e volta a conturbar clima no Palmeiras; Alexandre Mattos responde

​Apesar de o começo de trabalho de Mano Menezes no ​Palmeiras esteja acima das expectativas, com resultados e um estilo de jogo mais compatíveis com os anseios dos torcedores, o clima do clube nos bastidores continua conturbado. A Mancha Alviverde, principal uniformizada palestrina, segue irredutível em suas críticas ferrenhas ao diretor de futebol Alexandre Mattos e o presidente Maurício Galiotte e a pressão só aumentou nos últimos dias.

Já segue o Palmeiras no Instagram? Clique aqui e faça parte da nossa torcida!

Em nota publicada nas redes sociais, a Mancha Verde ataca Galiotte insinuando que o mandatário do Verdão viajou ao Rio de Janeiro em busca de um empréstimo junto à TV Globo para pagar os custos milionários da folha salarial do elenco. A uniformizada informa que o adiantamento das cotas de televisão - cerca de R$ 75 milhões - se tornou necessário por causa da "péssima administração" do presidente em 2019.

O ​jornalista Jorge Nicola, dos canais ESPN, afirmou que as acusações da Mancha Verde não procedem, já que Galiotte sequer esteve na sede da Rede Globo. O real motivo para a ida do presidente do Palmeiras ao Rio foi uma reunião na CBF com outros cartolas a respeito da transformação de clubes brasileiros em empresas. “Não há qualquer centavo adiantado. De cota nenhuma”, assegurou uma fonte ligado à diretoria do Verdão.



Em contato com a ​rádio Energia 97 FM, mais precisamente com o comentarista Alê Oliveira, o diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, respondeu as acusações da Mancha Verde. "Nada na nota é verdade. Zero possibilidade de o Palmeiras pedir adiantamento de qualquer cota com a Globo", rebateu o dirigente, que recentemente foi alvo de protestos da uniformizada em seu condomínio na capital paulista. Durante os jogos do Verdão no Allianz Parque, faixas com dizeres "Fora Mattos" são vistos na área reservada à torcida organizada do clube.



90min